sábado, 26 de abril de 2008

GUAÍBA, O NOSSO VIZINHO ILUSTRE!

Guaíba é tido como um lago ou estuário do Rio Grande do Sul, Brasil.
Atualmente, a tese aceita pela comunidade científica é de que o Guaíba seja um lago, apesar de ser amplamente conhecido como Rio Guaíba. As características de correntes, ventos e vegetação das margens levam a concluir que o Guaíba seja um 'lago'. Apesar de existirem estudiosos que continuam afirmando que o Guaíba seja um rio.
Os rios Gravataí, Sinos, Caí e Jacuí desembocam no Delta do Jacuí, formando então o Guaíba, que banha os municípios de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Guaíba, Barra do Ribeiro e Viamão. A partir do Guaíba, as águas vão para a Lagoa dos Patos e, por seqüência, para o Oceano Atlântico. Possui área de 547 quilômetros quadrados, comprimento de 50 quilômetros, largura variável entre 900 metros e 19 quilômetros, profundidade média de 3 metros e canal de navegação entre 4 a 6 metros, volume de 1,5 bilhão de metros cúbicos.
O nome, de origem indígena, significa lugar onde o rio se alarga (gua - grande, I - água ou rio, ba - lugar)
Na orla do Guaíba, encontram-se diversos pontos referenciais de Porto Alegre, como o Cais do Porto, a Usina do Gasômetro, a avenida Beira-Rio (muito usada para esportes), o Anfiteatro Pôr-do-Sol, ruinas do que foi o Estaleiro Só, o Iate Clube Guaíba, o Clube Veleiros do Sul, o Clube dos Jangadeiros e outros.


A Ponte do Guaíba é a ponte que o cruza, ligando a capital à porção sul do Estado.
Com a implantação do Programa Integrado Socioambiental (Pisa), em um prazo de 20 anos (a contar de 2007), as águas do Guaíba serão balneáveis novamente. A obra, uma das mais significativas da história de Porto Alegre, promoverá uma mudança muito importante para a população, garantindo melhores condições de moradia, saneamento e empregabilidade para mais de 700 mil pessoas. As negociações com o BID, principal financiador do projeto, começaram em 2000 e finalmente começam a produzir resultados concretos.



Localização: Porto Alegre, RS

Área da superfície: 496 km²

Afluentes ( Arroios situados às suas margens)

* Rio Jacuí (84,6%)

*Rio dos Sinos (7,5%)

*Rio Caí (5,2%)

*Rio Gravataí (2,7%)

Comprimento máximo: 50 km

Largura máxima: 20 km

Profundidade média: 2 m

Profundidade máxima : No canal de navegação 12 m

Volume aproximadamente 1,5 km³

Cidades vizinhas: Porto Alegre

País/es banhado/s: Brasil



MARTIM PESCADOR

Nosso próximo roteiro de estudos será a bordo Barco Martim Pescador, no Lago Guaíba. Nosso grupo turma está agendado para o dia 30 de abril, através do Projeto Escola SPH. Segundo o Instituto Martim Pescador :''O projeto é uma parceria do Instituto Martim Pescador e daSuperintendência de Portos e Hidrovias. Durante todo o trajeto no Lago Guaíba e parte do Rio Jacuí, a equipe do Instituto Martim Pescador busca sensibilizar os estudantes para a questão ambiental. Entre os temas abordados está o contraste entre as belezas naturais e a poluição, os aspectos históricos da região, o funcionamento das operações portuárias e as sinalizações náuticas. Na aula a bordo da embarcação, os estudantes, ainda, têm a oportunidade de conferir a atividade intensa do porto da capital".

NOS ORIENTANDO...


A palavra “bússola” vem do italiano do sul bussola, que significa “pequena caixa”. É composta por uma agulha magnética na horizontal suspensa pelo centro de gravidade, e aponta sempre para o eixo norte-sul, ao seguir a direcção do norte magnético da Terra. Atribui-se a descoberta da orientação natural dos ímans aos chineses, por volta do ano 2000 a.C., e por consequência, a invenção da bússola. Foi introduzida na Europa pelos árabes, e foi Flávio Gioia que introduziu também o desenho da rosa-dos-ventos na bússola. Data pelo menos do século XV o conhecimento da declinação magnética, quer dizer, da diferença entre o Norte magnético, indicado pela agulha, e o Norte verdadeiro e, possivelmente, foi descoberta pelos portugueses. A declinação era verificada pelo confronto com a observação da Estrela Polar, quando no hemisfério norte, ou da Estrela Pé do Cruzeiro, quando no hemisfério sul, e a direcção apontada pela bússola.
A bússola é sem dúvida o instrumento mais conhecido dos Descobrimentos, pois foi provavelmente o mais importante. Indicando sempre o Norte, é uma ajuda preciosa para todo e qualquer navegador. As bússolas actuais variam um pouco entre si, mas têm os mesmos componentes básicos.
Uma bússola é um instrumento navigacional para se encontrarem direcções. Ela consiste num ponteiro magnetizado livre para se alinhar de maneira precisa com o campo magnético da Terra. Uma bússola fornece a uma direcção de referência conhecida que é de grande ajuda na navegação. Os pontos cardeais são norte, sul, leste e oeste. Uma bússola pode ser usada com um relógio e uma sextante para fornececer uma capacidade de navegação bem precisa. Esse dispositivo melhorou bastante o comércio marítimo tornando as viagens mais seguras e mais eficientes.
Uma bússola pode ser qualquer dispositivo magnético que usa uma agulha para indicar a direção do norte magnético da magnetosfera do planeta. Qualquer instrumento com uma barra magnetizada ou agulha girando livremente sobre um pivô e apontando para o norte e o sul pode ser considerada uma bússola.
Principais componentes das bússolas:
- Base: é transparente e de plástico, normalmente marcada com uma régua de escala e com uma (ou mais) réguas laterais.
- Cápsula: contém uma agulha magnética, é preenchida por um líquido que em geral é um óleo pouco viscoso, que tem como finalidade dar estabilidade à agulha. A agulha tem também o pólo Norte sempre colorido de vermelho.
- Disco de Leitura: Tem uma escala em graus que fica em volta da cápsula, que serve para ser girada manualmente de modo a obter o rumo em graus.
- Portão: Faixa preta e vermelha pintada numa lâmina ou na cápsula. Serve para alinhar a agulha, move-se junto com a cápsula e as linhas de Norte e tem o lado Norte pintado de vermelho. Em algumas bússolas o portão pode ser movido independentemente.
- Linhas de Norte: São sem série, e servem para alinhar a bússola com os meridianos inseridos no mapa. Movem-se juntamente com o disco de leitura, e são finas, pretas e paralelas ficando geralmente no fundo da cápsula ou numa lâmina transparente.
Actualmente, as bússolas electrónicas são mais utilizadas, mas no entanto as suas agulhas estão igualmente sujeitas a desvios, graças à acção que o ferro exerce sobre a agulha.
Contudo, uma bússola a bordo de uma embarcação não é chamada de bússola, mas sim agulha de marear, ou simplesmente agulha.


Como fazer uma bússola














Se mexer na agulha, reparará que ela aponta sempre na mesma direção: a direção norte-sul.


.

.

.

.

Arte Postal 4

Aqui alguns dos postais, que a nossa turma criou, para ser enviado para segunda turma da Escola Monteiro Lobato.
*********************************************************
Porto Alegre é Demais (Isabela Fogaça )
*********************************************************

Porto Alegre é que tem
Um jeito legal
É lá que as gurias etc. e tal
Nas manhãs de domingo
Esperando o Gre-Nal
Passear pelo Brique
Num alto astral
Porto Alegre me faz
Tão Sentimental
Porto Alegre me dói
Não diga a ninguém
Porto Alegre me tem
Não leve a mal
A saudade é demais
É lá que eu vivo em paz
Quem dera eu pudesse
Ligar o rádio e ouvir
Uma nova canção
Do Kleiton/Kledir
Andar pelos bares
Nas noites de abril
Roubar de repente
Um beijo vadio
Porto Alegre me faz
Tão Sentimental
Porto Aegre me dói
Não diga a ninguém
Porto Alegre me tem
Não leve a mal
A saudade é demais
É lá que eu vivo em paz
Porto Alegre me dói
Não diga a ninguém
Porto Alegre me tem
Não leve a mal
A saudade é demais
É lá que eu vivo em paz
Porto Alegre é demais...!

Arte Postal 3

Esses são alguns dos primeiros postais criados pela nossa turma. Vamos enviar para a turma 51 da Escola Monteiro Lobato.

Arte postal 2


**************************************************************
Foto: Arte Postal da artista plástica Cibele Grassi)
**************************************************************
Breve histórico da arte postal
Na América Latina, as primeiras manifestações de arte postal datam de 1969, na Argentina, através de Liliana Porter (1941) e Luis Camnitzer (1937), e no Uruguai, por Clemente Padín (1939). No Brasil, o poeta visual Pedro Lyra (1945) publica em 1970 o Manifesto de Arte Postal. Será em 1974, porém, que o movimento ganhará força no continente sul-americano, pois neste ano é realizada em Montevidéu o Festival de la Postal Creativa – primeira exposição documentada de arte postal na América Latina. A partir de então, inúmeras mostras começam a ocorrer, como na Argentina com a Ultima Exposição Internacional de Arte Postal (La Plata, 1975) realizada por Edgardo Antonio Vigo (1927-1991) e Horácio Zabala (1943).No Brasil, Primeira Internacional de Arte Postal é a primeira exposição do país realizada em São Paulo por Ismael Assumpção em setembro de 1975. Foi uma convocatória limitada a praticantes reconhecidos internacionalmente e que tinham contato com o organizador. Em dezembro do mesmo ano, ocorreu a Primeira Exposição Internacional de Arte Postal (Recife/PE, 1975) organizada por Paulo Bruscky (1949) e Ypiranga Filho (1936), esta foi de grande importância porque envolveu um grande número de artistas e também porque foi exposta no salão de entrada de um hospital público, ou seja, em um local nada tradicional em relação a exibições artísticas. Em 1976, Paulo Bruscky e Daniel Santiago (1939) organizam a Exibição Internacional de Arte Postal (Recife) que foi fechada pelos militares uma hora após sua abertura com a prisão de seus organizadores. Este ato repercutiu internacionalmente, mostrando para o mundo a repressão ditatorial e o porquê do papel de luta e denúncia assumido, a partir de então, pelos artistas latino-americanos.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Arte Postal 1

Foi numa manhã, na aula de artes, que a turma recebeu um envelope contendo em torno de 100 postais. Esses postais tinham como remetentes alunos da Escola Monteiro Lobato, da Cidade de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. Esses postais continham mensagens de amizade e curiosidades a respeito dos alunos da turma 41 o qual chamam de amigo secreto.
Diante de tamanha originalidade para iniciar um contato com a nossa turma todos queriam responder de imediato.
Mas, ficou uma pergunta: o que é Arte Postal?

File 08

A interatividade com o mundo virtual é mais uma aula extra-classe desse primeiro trimestre para os alunos da 4ª. Séries. A turma 41 conferiu a mostra FILE POA – um Festival Internacional de Linguagem Eletrônica - exposta no Santander Cultural. Os alunos foram acompanhados pela Professora Rita de Cássia, e na falta de um mediador convidamos a Artista Plástica Cibele Grassi para orientar o nosso grupo.



Entre brincadeiras e interatividade, o grupo pode se divertir fazendo parte dos cenários virtuais e relacionar o trabalho realizado em sala de aula com as novas descobertas do mundo eletrônico.
Através dessa mistura de arte e tecnologia ao vivo onde se pode ‘’brincar’’ com ‘’tudo”, buscamos alcançar nosso objetivo, ou seja, que a mostra, os cenários e as possibilidades virtuais sirvam de inspiração e conhecimento para o trabalho realizado em sala de aula.



Nossa aula extra-classe foi uma importante oportunidade para que o grupo turma pudesse conhecer artistas que trabalham com tecnologia multimídia. Ao se apropriarem do que viram no FILE POA com certeza irão construir novos conhecimentos de uma maneira inovadora e própria.Deixando assim de ser apenas um apreciador, mas mais um criador.




*************************************************************************
*************************************************************************
O FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica é o maior festival de arte e tecnologia do Brasil e da América Latina, e, com o projeto SE LIGA, o Santander Cultural e o Oi Futuro realizam a mostra do Festival em Porto Alegre, no período de 20/02 a 20/04, e no Rio de Janeiro, de 27 de fevereiro a 30 de março. O FILE POA será a mostra de abertura da temporada 2008 de artes visuais do Santander Cultural que apresenta o festival pela primeira vez no Sul do País.
O FILE é uma iniciativa brasileira, conectada a rede dos importantes festivais mundiais do gênero, que acontece em São Paulo desde o ano 2000 com apoio do SESI, na galeria da Avenida Paulista, e busca promover e estimular as expressões estéticas produzidas para o universo da cultura eletrônica e digital. A partir de 2006 aconteceu também no Centro Cultural Telemar (atual Oi Futuro), no Rio Janeiro e, em 2008, com a realização/patrocínio do Santander Cultural e Oi Futuro esse ano, passa a acontecer simultaneamente em Porto Alegre e no Rio de Janeiro.
O Festival contribui para uma reflexão atual sobre as principais questões do universo eletrônico-digital contemporâneo, reunindo trabalhos de web-art, net-art, vida artificial, hipertexto, animação computadorizada, realidade virtual, software-art, além de games, filmes interativos, e-videos, panoramas digitais (fotos 360º) e instalações de arte eletrônica e robótica, em salas interativas e imersivas.
Em 2008, ao todo, cerca de 323 obras e instalações de 206 artistas de 30 países estarão em exibição nas duas mostras. Em POA, 220 obras de 56 artistas de 21 países representam à expressiva evolução do Festival nestes oito anos de existência.
O Santander Cultural destaca também o programa de atividades simultâneas à mostra oferecendo produtos e serviços aos diversos públicos, em particular no campo da produção do conhecimento, desenvolvido em parceria com instituições públicas e privadas, governos e universidades, entidades de classe, ONGs e outras organizações. Estas atividades são oferecidas gratuitamente ao público e envolvem desde mediação e visitas guiadas, palestras, debates, cursos, mostras paralelas, até lançamento de livros e outros produtos, projetos e programas.
Esse programa gera a ampla participação do público, a integração de expertises, fomenta a qualificação profissional, promove o desenvolvimento socioeconômico dos diversos setores envolvidos e incrementa o cenário cultural de Porto Alegre e do Rio de Janeiro ao inserir as cidade e os Estados no circuito do FILE no Brasil.
Local: Santander Cultural, Rua Sete de Setembro, 1028.
Data: 20 de fevereiro a 20 de abril de 2008.
Horário: Segunda à sexta-feira das 10h às 19h
Sábados, domingos e feriados das 11h às 19h.

Terra, planeta água!

Nossa primeira investigação científica foi feita através do Terrário.
O terrário é um ecossistema em miniatura que se assemelha ao planeta em que vivemos.
No terrário encontra-se seres vivos (animais e plantas) e seres brutos ( terra, pedra, areia, ... ).
O terrário da nossa turma foi construído em uma garrafa pet para que pudéssemos observar tudo o que acontece no seu interior.
AS NOSSAS PRIMEIRAS IMPRESSÕES...
1) ‘’...os animais e as plantas vão morrer... ‘’
2) ‘’...os animais e as plantas não vão morrer... ‘’
3) ‘’...tem que fazer uns furinhos para entrar ar...’’
3) ‘’...as plantinhas não vão crescer, elas vão morrer...''
4)''...os bichos vão brigar...''
5) ''...quero ver quem vai comer quem...''
6) ''...a água vai secar...''
7)''...a garrafa não pode ficar no sol ... vai secar a água muito rápido...''
8)''... as minhocas vão morrer porque tem areia...’’
9) “... os caracóis estão subindo e vão cair e morrer...’’
O QUE APRENDEMOS COM O TERRÁRIO?
1) ‘’... a garrafa ficou lacrada com durex e nós vimos o ciclo da água...’’
2) ‘’... a importância da luz do sol para os seres vivos...’’
3) ‘’... a presença do oxigênio através das plantas...’’
4) ‘’...a germinação da plantas ...’’
5) ‘’... as camadas da Terra e os tipos de solo...’’
6) ‘’... a importância da água e seus estados...’’
7) ‘’... a formação do solo vem das rochas em fragmentação...’’
8) ‘’... a primeira camada da terra é orgânica...’’
9) ‘’... a primeira camada da terra fértil por causa da decomposição de folhas e animais...”
10) “... a cadeia alimentar também aconteceu... a plantinha cresceu, a formiga comeu e o que sobrou ficou na terra como se fosse um adubo...’’
11) “... a planta é sempre a primeira na cadeia alimentar...’’
12) ‘’... a planta é o único ser vivo que produz seu próprio alimento...”
13) "...os bichinhos ( caracol, tatu -bola , minhoca e formiga) estão vivos porque tinha oxigênio que vinha das plantas ..."
***************************************************************************
Planeta Água (Guilherme Arantes)
**********************************************************

Água que nasce na fonteSerena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...
Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildesP
ro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...

O quê? Quando? Como?


Tudo acontece com Terra
acontece com os filhos e
filhas da Terra
da vida.
Ele é apenas um fio
Tudo o que faz a teia
Ele faz a si mesmo.
Ted Perry



Foto tirada no Saguão da Escola
A nossa turma, para o ano de 2008, tem como tema interdisciplinar a Educação Ambiental e Cidadania. Esta temática é um compromisso social da escola com o bem essencial a vida.
Nossos trabalhos procurarão situar as crianças como sujeitos da contemporaneidade, sujeito da sua cultura e gestores ambientais. Procurando assim propiciar situações para a reflexão sobre a questão ambiental, a qual hoje é considerada de extrema importância, para o futuro da humanidade a qual depende da relação estabelecida entre homem e natureza, e do uso pelo homem dos recursos naturais disponíveis.
Para tanto se faz necessário, mais do que informações e conceitos, no decorrer do projeto se propõem a trabalhar com atitudes, com formação de valores, com ensino e aprendizagem de habilidades e procedimentos pertinentes ao nosso foco, ou seja, a educação ambiental.