quinta-feira, 22 de maio de 2008

Todos no mesmo barco

Pais e educadores trabalham em conjunto. Em sintonia, em harmonia. Como em qualquer equipe, precisam partir dos mesmos princípios e seguir na mesma direção. Como em qualquer empreitada coletiva, devem desempenhar cada um a sua parte, em benefício de um objetivo comum: conduzir as crianças e os jovens a um futuro melhor.
Se remarem no mesmo ritmo, em movimentos que se complementam, pais e educadores vão propiciar ao aluno a estabilidade de que ele necessita para construir sua identidade e formar uma visão crítica do mundo, conquistando sua independência.
Confira, a seguir, de que forma a família e a escola podem contribuir para o pleno desenvolvimento de seus filhos e de seus alunos.

Os pais estão no rumo certo quando...
 Fazem uma boa escolha da escola, com base em critérios consistentes, e com isso se sentem seguros para confiar e apoiar as posições de professores e da direção.
 Cumprem as regras estabelecidas pela escola - não estacionando em fila dupla na saída, por exemplo - e cuidam para que seus filhos façam o mesmo - não permitindo faltas injustificáveis.
 Acompanham a vida escolar dos filhos e colaboram, por meio de conversas, atividades culturais, para enriquecer os conteúdos vistos em aula.
 Ao ouvir do filho uma reclamação, antes de dar razão à criança ou ao professor, procuram a escola para saber o que está acontecendo.
 Dão chance ao filho para superar pelos próprios meios as dificuldades - sejam de aprendizado, sejam de relacionamento -, controlando a ansiedade de resolver os problemas por eles, junto à escola.
 Valorizam o contato com a escola e não se limitam a se comunicar com orientadores e professores por telefone ou por e-mail, mas comparecem às reuniões, contribuindo com questionamentos e sugestões.

A escola está no rumo certo quando...


 É coerente, nos procedimentos e nas atitudes cotidianas, com a proposta pedagógica apresentada aos pais - e que os levou a eleger essa escola para seus filhos.
 Reconhece o aluno como um integrante do processo educativo e lhe dá oportunidade para se manifestar em relação às regras de convivência na comunidade escolar.
 Acolhe os pais agendando entrevistas extras, além das reuniões regulares, para discutir o desempenho dos alunos e orientar os encaminhamentos paralelos, se necessário.
 Abre espaço para pais e alunos colocarem suas queixas e, se for o caso, reconhece e toma medidas corretivas em relação a falhas de avaliação, injustiças ou agressões sofridas pelos alunos por parte de professores e funcionários.
 Integra os pais ao processo de formação, convidando-os a participar de atividades esportivas e culturais, o que propicia o estreitamento das relações família-escola.
 Mantém professores e recursos pedagógicos atualizados, administrando com equilíbrio e bom senso a equação entre aplicações na melhoria do ensino e o custo desse investimento para os pais.

Autor do texto: http://revistaeducacao.uol.com.br/textos.asp?codigo=12103

Expressões que aparecem nas provas

Veja aqui algumas expressões que aparecem freqüentemente nas provas e confira o que elas significam.
Citar: é mencionar o nome de algo; é fazer referência a algo; é mencionar algo como exemplo. Quando a questão pede para que você cite, não há necessidade de explicar, comentar ou justificar. Apenas cite.
Denominar: é pôr nome em algo; é indicar pelo nome; é nomear algo.
Como ocorre com a expressão acima (citar), não se deve entrar em detalhes explicativos. Apenas denomine.
Justificar: é a ação de dar uma causa, uma razão, um motivo para alguma coisa; é dar uma justificativa para uma coisa que está sendo afirmada ou negada; é demonstrar, provar ou fundamentar o que é apresentado.
Contrariamente ao que se faz em questões em que se pede citações ou denominações, aqui você deve ser mais cuidadoso(a) e redigir uma resposta coerente, verificando se você demonstrou e deu sentido ao que está sendo afirmado ou mesmo negado. Obs: No geral uma questão em que se pede para justificar é sempre precedida de uma afirmação ou negação sobre algo.
Explicar: é dar a razão de alguma coisa; é dar a razão de uma atitude; é expor por que tal coisa acontece ou aconteceu daquela maneira.
Nesse caso você também deve redigir uma resposta bem elaborada, dando conta de deixar bem claro os "comos" e "porquês" de tal situação, dependendo do que se pede para explicar. Note que não é para citar ou denominar fatos ou acontecimentos.
Relacionar: é estabelecer e/ou apresentar uma ligação, uma vinculação, uma semelhança entre uma coisa e outra coisa. . pode ser também estabelecer uma relação entre coisas diferentes, ou seja, confrontar.
Observe que em uma questão que você precise relacionar, serão apresentados os fatos para que você relacione, pois não se relaciona uma coisa com ela mesma. Aqui não se pode fazer apenas a explicação de uma coisa, menos ainda uma citação.
Transcrever: é reproduzir; é copiar textualmente; é copiar parte de um texto.
Em geral, questões desse tipo, são acrescentadas de outras questões em que se pedem para explicar o que foi transcrito.
Caracterizar: é dizer no que aquilo é distinto de outra coisa; é dar as características próprias de algo.
Nesse caso caracterizar algo é mostrar os aspectos próprios desse algo.
Comentar: é falar sobre alguma coisa; é conversar (escrever) acerca de tal fato ou acontecimento.
São questões mais abrangentes onde você tem liberdade de argumentar sobre o que se pede, sem contudo fugir ao tema que lhe é proposto.
Explicitar: é tornar algo explicado.

Como Estudar - Educação Física

Como Estudar - Ensino Religioso

.

Como Estudar - Educação Artística

Todos nós possuimos algum dom. Alguns são artistas e possuem uma grande facilidade para cantar, tocar, desenhar, pintar... Como também, existem outros que são excelentes administradores, matemáticos, cientistas... Outros, por sua vez, desconhecem seus talentos e potenciais, porque simplesmente lhes faltou interesse e até mesmo oportunidades. A disciplina de Educação Artística deve ser levada a sério, pois lhe trará muitos benefícios no futuro. Benefícios estes de coordenação motora, noções de espaços, raciocínio rápido, autodisciplina, bom gosto, decisão, administração do tempo, responsabilidade, higiene mental, personalidade e perseverança para solucionar problemas. Para que todos estes benefícios possam ser uma realidade, faça o seguinte:
dedique-se a fundo nas aulas e nos trabalhos;
preste bastante atenção nas explicações, técnicas e movimentos que for ensinado pelo professor;
entregue seus trabalhos no prazo combinado;
faça tudo (pintura, música, artesanato...) com cuidado, bom gosto e capricho. Respeite as regras e as combinações de cores;
zele pelo material ou instrumentos. Caso pedir alguma coisa emprestada, tenha o cuidado de devolvê-la;
concentre-se no que estiver fazendo. Isto o ajudará, também, nas outras outras disciplinas, principalmente matemática;
aprecie suas criações. Vibre! Sinta-se feliz por ter criado algo diferente;
colecione seus trabalhos ou partituras para mais tarde comparar e verificar seu desenvolvimento.
O verdadeiro prazer de viver é aprender, que muito de bom possuimos bem dentro de nós!

Como Estudar - Ciências


O estudo das ciências físicas, químicas e biológicas, se levado a sério, facultará um vasto conhecimento e entendimento das forças que regem o mundo e a vida humana. Existem muitos nomes, fórmulas, expressões e fusões que podem complicar a vida de qualquer estudante. Menos, é claro, daquele que se dedica e aproveita o tempo para estudar tão maravilhosos fenômenos. Para melhorar o seu desempenho acadêmico nestas disciplinas, sugerimos o seguinte:
procure prestar bastante atenção nas explicações dadas pelo professor. Preferencialmente, dê uma "olhadela" no material ou capítulo antes da aula;
faça ligação entre os assuntos ou temas abordados em outras disciplinas;
marque presença nas aulas de laboratório. Anote, observe com atenção as reações químicas ou comprovações físicas, bem como, diferencie uma bactéria de um elefante, em Biologia;
seja curioso, observe os fenômenos e efeitos naturais que acontecem diariamente, bem "debaixo do seu nariz";
tire suas dúvidas com o professor. Indague, questione, vá ao limite da sua curiosidade;
aplique-se nos exercícios, quer de ordem experimental em laboratório, quer de ordem teórica;
utilize o "gráfico-resumo" se necessário, para um preparo mais concreto.
Estas dicas só valerão se forem aplicadas sistematicamente. Vale a pena experimentar !

Como Estudar - Estudos Sociais ( História e Geografia)


Estas disciplinas necessitam de uma boa dose de memorização, pois envolvem nomes, pessoas, datas, eventos, lugares, enfim, uma porção de coisas. E tudo parece que se complica quando exige um pouco de esforço mental, mas, nem por isso, dá para desanimar. Vamos à luta para vencer juntos, passo a passo:
participe das aulas, tenha o seu própio material e não esqueça de anotar e sublinhar algo curioso, mencionado pelo professor;
esqueça do mundo, dos seus amigos, dos problemas que possui e jogue-se de corpo e alma no conteúdo a ser estudado;
leia com atenção, uma vez o capítulo ou conteúdo, sem se deter em nenhum ponto até o final;
leia novamente até o fim, mas agora vá sublinhando os nomes, lugares, datas e fatos importantes;
numa folha à parte, prepare um gráfico-resumo, em forma de chaves enumeradas e sub-enumeradas, com os dados importantes que sublinhou;
com o "gráfico-resumo" em mãos, leia devagar. Toda vez que precisar tirar dúvidas, consulte o livro ou capítulo - faça isso uma, duas ou três vezes;
agora, leia atentamente o "gráfico-resumo" procurando lembrar de todos os detalhes;
procure relaxar, respirar. Sem o "gráfico-resumo", descreva-o com todos os dados, verbal ou mentalmente. Faça isso várias vezes;
não esqueça de fazer todos os temas solicitados. Eles ajudam bastante.
Através deste método, com "gráfico-resumo", as coisas ficarão bem mais fáceis. Se, por ventura, aparecerem palavras ou nomes estranhos ou difíceis, procure trocar por outros parecidos.

Como Estudar - Português


Para muitos a Língua Portuguesa é bastante complicada. Vamos atacar este terrível "monstro"com poderosas armas, que são as seguintes:
procure ler bastante e compreender o que vai lendo. Observe a forma das orações, o tempo dos verbos, o emprego dos pronomes ...
aprenda o básico da gramática, sabendo diferenciar e identificar os artigos, advérbios, pronomes, adjetivos, verbos, substantivos, ... Para tal, adquira um bom livro sobre o assunto;
preste bastante atenção nas aulas, pergunte ao professor, para tirar suas dúvidas e não perca uma aula sequer;
faça muitos exercícios, quantos forem necessários, para gravar termos e funções gramaticais;
aprenda a escrever corretamente as palavras, praticando caligrafia, pois assim você também estará melhorando sua letra;
utilize o dicionário, pois ele existe para ajudá-lo;
faça por completo os temas de casa, toda vez que forem solicitados pelo professor;
dedique-se ao conteúdo solicitado para a prova, aplicando tudo o que aprendeu.

Como Estudar - Matemática


Existe, por parte da maioria, uma grande dificuldade nesta matéria; muitos "navegantes" têm naufragado os seus "botes" em matemática. Então, mais que depressa, destrua esse terrível "iceberg", antes que você naufrague também ! Leia e pratique estas importantes dicas:
preste bastante atenção nas aulas e não falte a nenhuma delas, pois perderá a seqüência das explicações, também as fórmulas, e ficará atrapalhado entre os números;
faça vários exercícios, - eis aí o grande segredo - até que possa resolver os cálculos e as expressões, sem dificuldades. Faça quantas vezes for necessário, ponha sua alma nas questões;
domine a linguagem matemática, saiba diferenciar as expressões, as fórmulas e as convenções;
aprenda, definitivamente, a tabuada, pois ela é a chave para não sofrer mais;
tente aplicar seus conhecimentos matemáticos no dia-a-dia;
procure tirar as dúvidas que surgirem imediatamente;
se o seu problema for a matemática, dedique mais tempo a ela.
Nunca desanime por mais difícil que sejam ou se apresentem os problemas, pois como na vida eles existem porque hão, simplesmente, soluções

Dicas para estudar!


.

.

Jardim Zoológico

Data: 30/05/08

Saída em frente do colégio às 08h, em ônibus turismo com destino ao Jardim Zoológico em Sapucaia do Sul.

O Parque Zoológico foi inaugurado em 1962. Acervo de aproximadamente 1.400 animais, contando com ampla infra-estrutura para os visitantes (dados referentes ao mês de outubro de 2006).
Mantém e reproduz vários animais, inclusive espécies nativas ameaçadas de extinção, cumprindo assim com suas funções de pesquisa, conservação, educação ambiental, lazer e turismo.
A cobertura vegetal é constituída principalmente por eucaliptos. Tem um acervo faunístico com animais nativos e exóticos, incluindo espécies ameaçadas de extinção, como tamanduá-bandeira, urso-de-óculos, onça-pintada, tigre-de-bengala e papagaio-de-peito-roxo, entre outros.

Após, regresso para o colégio, chegada prevista para 17h e,* até o próximo roteiro de estudos *

Faça o que Anne Frank não podia fazer: saia de casa


No último dia 06 de maio, as quartas séries da Escola Monte Líbano visitaram a exposição Anne Frank - Uma História para Hoje, na Usina do Gasômetro.



O objetivo da visita, para a turma 41, foi realizar um “laboratório” para a releitura do assunto abordado na disciplina de Ensino Religioso: Direitos Humanos.




Os alunos foram conduzidos pelo guia Maurício e durante a exposição e puderam aprender um pouco mais sobre a história do Holocausto e o drama vivido por Anne Frank , visitando, inclusive, um espaço no Anexo Secreto onde se reproduziu seu o quarto.



.

.

.

.

.

.

Beirando o Rio!



Com objetivo de proporcionar momentos de reflexão sobre os fatos culturais, econômicos, sociais e ambientais da nossa cidade, os alunos da 4ª série, turmas 41 e 42, acompanhados das professoras Rita de Cássia e Nara Beatriz, realizaram no dia 11 de maio uma saída de estudos pelo Lago Guaíba, durante o turno normal de aula. Várias temáticas foram abordadas como:

· Origem do nome Guaíba.
· Rios que formam a bacia do Guaíba
· Lago ou Rio?
· Por que o Guaíba é considerado um lago.
· Formação geológica do Lago Guaíba.
· Fauna e flora do lago Guaíba.
· Formação de parques ambientais.
· Pontos turísticos a margem do Lago Guaíba.
. As ilhas e suas curiosidades.

sábado, 26 de abril de 2008

GUAÍBA, O NOSSO VIZINHO ILUSTRE!

Guaíba é tido como um lago ou estuário do Rio Grande do Sul, Brasil.
Atualmente, a tese aceita pela comunidade científica é de que o Guaíba seja um lago, apesar de ser amplamente conhecido como Rio Guaíba. As características de correntes, ventos e vegetação das margens levam a concluir que o Guaíba seja um 'lago'. Apesar de existirem estudiosos que continuam afirmando que o Guaíba seja um rio.
Os rios Gravataí, Sinos, Caí e Jacuí desembocam no Delta do Jacuí, formando então o Guaíba, que banha os municípios de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Guaíba, Barra do Ribeiro e Viamão. A partir do Guaíba, as águas vão para a Lagoa dos Patos e, por seqüência, para o Oceano Atlântico. Possui área de 547 quilômetros quadrados, comprimento de 50 quilômetros, largura variável entre 900 metros e 19 quilômetros, profundidade média de 3 metros e canal de navegação entre 4 a 6 metros, volume de 1,5 bilhão de metros cúbicos.
O nome, de origem indígena, significa lugar onde o rio se alarga (gua - grande, I - água ou rio, ba - lugar)
Na orla do Guaíba, encontram-se diversos pontos referenciais de Porto Alegre, como o Cais do Porto, a Usina do Gasômetro, a avenida Beira-Rio (muito usada para esportes), o Anfiteatro Pôr-do-Sol, ruinas do que foi o Estaleiro Só, o Iate Clube Guaíba, o Clube Veleiros do Sul, o Clube dos Jangadeiros e outros.


A Ponte do Guaíba é a ponte que o cruza, ligando a capital à porção sul do Estado.
Com a implantação do Programa Integrado Socioambiental (Pisa), em um prazo de 20 anos (a contar de 2007), as águas do Guaíba serão balneáveis novamente. A obra, uma das mais significativas da história de Porto Alegre, promoverá uma mudança muito importante para a população, garantindo melhores condições de moradia, saneamento e empregabilidade para mais de 700 mil pessoas. As negociações com o BID, principal financiador do projeto, começaram em 2000 e finalmente começam a produzir resultados concretos.



Localização: Porto Alegre, RS

Área da superfície: 496 km²

Afluentes ( Arroios situados às suas margens)

* Rio Jacuí (84,6%)

*Rio dos Sinos (7,5%)

*Rio Caí (5,2%)

*Rio Gravataí (2,7%)

Comprimento máximo: 50 km

Largura máxima: 20 km

Profundidade média: 2 m

Profundidade máxima : No canal de navegação 12 m

Volume aproximadamente 1,5 km³

Cidades vizinhas: Porto Alegre

País/es banhado/s: Brasil



MARTIM PESCADOR

Nosso próximo roteiro de estudos será a bordo Barco Martim Pescador, no Lago Guaíba. Nosso grupo turma está agendado para o dia 30 de abril, através do Projeto Escola SPH. Segundo o Instituto Martim Pescador :''O projeto é uma parceria do Instituto Martim Pescador e daSuperintendência de Portos e Hidrovias. Durante todo o trajeto no Lago Guaíba e parte do Rio Jacuí, a equipe do Instituto Martim Pescador busca sensibilizar os estudantes para a questão ambiental. Entre os temas abordados está o contraste entre as belezas naturais e a poluição, os aspectos históricos da região, o funcionamento das operações portuárias e as sinalizações náuticas. Na aula a bordo da embarcação, os estudantes, ainda, têm a oportunidade de conferir a atividade intensa do porto da capital".

NOS ORIENTANDO...


A palavra “bússola” vem do italiano do sul bussola, que significa “pequena caixa”. É composta por uma agulha magnética na horizontal suspensa pelo centro de gravidade, e aponta sempre para o eixo norte-sul, ao seguir a direcção do norte magnético da Terra. Atribui-se a descoberta da orientação natural dos ímans aos chineses, por volta do ano 2000 a.C., e por consequência, a invenção da bússola. Foi introduzida na Europa pelos árabes, e foi Flávio Gioia que introduziu também o desenho da rosa-dos-ventos na bússola. Data pelo menos do século XV o conhecimento da declinação magnética, quer dizer, da diferença entre o Norte magnético, indicado pela agulha, e o Norte verdadeiro e, possivelmente, foi descoberta pelos portugueses. A declinação era verificada pelo confronto com a observação da Estrela Polar, quando no hemisfério norte, ou da Estrela Pé do Cruzeiro, quando no hemisfério sul, e a direcção apontada pela bússola.
A bússola é sem dúvida o instrumento mais conhecido dos Descobrimentos, pois foi provavelmente o mais importante. Indicando sempre o Norte, é uma ajuda preciosa para todo e qualquer navegador. As bússolas actuais variam um pouco entre si, mas têm os mesmos componentes básicos.
Uma bússola é um instrumento navigacional para se encontrarem direcções. Ela consiste num ponteiro magnetizado livre para se alinhar de maneira precisa com o campo magnético da Terra. Uma bússola fornece a uma direcção de referência conhecida que é de grande ajuda na navegação. Os pontos cardeais são norte, sul, leste e oeste. Uma bússola pode ser usada com um relógio e uma sextante para fornececer uma capacidade de navegação bem precisa. Esse dispositivo melhorou bastante o comércio marítimo tornando as viagens mais seguras e mais eficientes.
Uma bússola pode ser qualquer dispositivo magnético que usa uma agulha para indicar a direção do norte magnético da magnetosfera do planeta. Qualquer instrumento com uma barra magnetizada ou agulha girando livremente sobre um pivô e apontando para o norte e o sul pode ser considerada uma bússola.
Principais componentes das bússolas:
- Base: é transparente e de plástico, normalmente marcada com uma régua de escala e com uma (ou mais) réguas laterais.
- Cápsula: contém uma agulha magnética, é preenchida por um líquido que em geral é um óleo pouco viscoso, que tem como finalidade dar estabilidade à agulha. A agulha tem também o pólo Norte sempre colorido de vermelho.
- Disco de Leitura: Tem uma escala em graus que fica em volta da cápsula, que serve para ser girada manualmente de modo a obter o rumo em graus.
- Portão: Faixa preta e vermelha pintada numa lâmina ou na cápsula. Serve para alinhar a agulha, move-se junto com a cápsula e as linhas de Norte e tem o lado Norte pintado de vermelho. Em algumas bússolas o portão pode ser movido independentemente.
- Linhas de Norte: São sem série, e servem para alinhar a bússola com os meridianos inseridos no mapa. Movem-se juntamente com o disco de leitura, e são finas, pretas e paralelas ficando geralmente no fundo da cápsula ou numa lâmina transparente.
Actualmente, as bússolas electrónicas são mais utilizadas, mas no entanto as suas agulhas estão igualmente sujeitas a desvios, graças à acção que o ferro exerce sobre a agulha.
Contudo, uma bússola a bordo de uma embarcação não é chamada de bússola, mas sim agulha de marear, ou simplesmente agulha.


Como fazer uma bússola














Se mexer na agulha, reparará que ela aponta sempre na mesma direção: a direção norte-sul.